Rotina de lavagem de fraldas reutilizáveis

A rotina de lavagem das fraldas é, provavelmente, o tema que mais dúvidas levanta. E pretendo mostrar-vos que não tem de ser assim – lavar fraldas é, e deve ser, simples. É uma rotina que se adapta a nós e não nós que nos adaptamos a ela. Nada de contar o número de bolhas de detergente num ciclo de enxaguamento e não têm de fazer uma dança e oração aos deuses das fraldas cada vez que as põem a lavar 😉

Compreendo que a lavagem das fraldas seja um assunto sensível – a saúde dos nossos bebés é um assunto delicado para todos os pais, por isso é que há tantas dúvidas e preocupações em torno de uma rotina de lavagem sólida e eficaz. Todos os pais querem o melhor para os seus filhos.

Ora então, bora lá simplificar as fraldas?

Esta rotina é a que dou nos meus workshops. É simples, sigo-a há mais de um ano e acima de tudo, nunca me deu problemas com as fraldas, nem alguma vez tive necessidade de me deparar com um processo de “stripping” (nada a ver com tirar a roupa), ou “desentupir fraldas”. Aliás, funciona bem para mim e para os outros pais que a seguem. Porque se tiver uma rotina eficaz de origem, as fraldas estarão sempre bem lavadas.

Claro que haverá outras rotinas e provavelmente até já terá uma que funciona para si. Excelente! Não se mexe em equipa vencedora! Esta é, como digo, a que funciona para nós e para tantas outras famílias e passo a explicar porquê! You do you, always 😊

As fraldas não são mais do que roupa muito suja. Estamos a falar de dejetos humanos! Portanto, toca a lavar. Com quê? Muita água, detergente na dose certa e temperatura. Esses três fatores irão garantir uma boa lavagem, assim como a ação mecânica das fraldas se esfregarem umas nas outras (ai, as malandras). Garanta assim que a máquina está 2/3 cheia, (fraldas molhadas), para haver espaço suficiente para que a ação mecânica ocorra.

Exemplo de balde e saco para colocar fraldas sujas

Se forem fraldas de um bebé que está exclusivamente a leite (até aos 6 meses), não precisa de fazer NADA com as fraldas. Quando as tirar do bebé, coloque no balde ou saco impermeável até ser dia de lavar. Aconselho que lave no máximo de dois em dois dias no verão, sendo que no inverno pode esticar para de três em três. Para um bebé a quem já foi feita a introdução alimentar – use liners, a sério que ajuda. Para um artigo sobre liners ver aqui. Se houver cocó na fralda, retire com papel higiénico ou passe por água. E coloque as fraldas no balde ou saco até lavar.

Dica da Fafá: com as fraldas de noite, se sentir cheiro intenso, passar por água fria e espremer bem antes de colocar no balde ou saco, para remover a urina mais concentrada, característica da noite.

Máquina de lavar com sacos de fraldas dentro

Vamos então à rotina:

  1. Fazer um ciclo curto (entre 15 a 30 minutos) a frio, sem detergente. Quem não tiver a opção de fazer um ciclo, um enxaguamento e centrifugação basta. E porquê este passo? Ora, vejamos… se temos roupa com nódoas, passamos por água fria primeiro para retirar a nódoa e garantir que ela não se entranha no tecido com uma lavagem quente, certo? Aqui estamos a fazer o mesmo… estamos a retirar as partículas de amônia e de fezes das fraldas, retirando o seu excesso, por assim dizer e preparando-as para a lavagem.

Não fazer este passo como pré-lavagem do ciclo longo, pois além de ser quente, a máquina reaproveita a água da pré-lavagem… ora… não preciso de dizer mais nada, não é verdade?

  1. Nesta altura, pode (e deve) juntar mais roupa de modo a rentabilizar a lavagem (e encher a máquina até 2/3). Costumo juntar toalhas, lençóis do meu bebé, pijamas, roupa interior, bodies dele, etc… Fazer um ciclo longo de algodão, o mais longo que tiverem, a 40ºC ou 60ºC e com detergente (para bebés até aos 3 meses, lavar sempre a 60ºC, assim como se tiverem 2 bebés a usar fraldas reutilizáveis ao mesmo tempo). O detergente deve ser calculado em função da carga da máquina e tendo em conta a dureza da água na vossa zona (instruções nas embalagens de detergente). Não precisa de calculadora – experimente e ajuste à medida que vai lavando as fraldas! Não é preciso ficar a olhar para a máquina, apenas deixe-a fazer o que tem a fazer. As fraldas devem sair a cheirar a limpo. Se cheirar a detergente, diminua a dose na lavagem seguinte. Se cheirarem a mal lavado, aumente a dose na lavagem seguinte. Se, mesmo assim, cheirarem – aumente a temperatura (caso estejam a lavar abaixo dos 60ºC) ou pondere mudar de detergente. A verdade é que estamos a falar de dejetos humanos e precisamos de usar um detergente que LAVE. Se fosse cocó na roupa do bebé – lavaria com algo que sabe, a priori, é mais gentil e não lava tanto? Ou não aumentaria a temperatura? Aqui aplica-se a mesma regra. Eu jogo pelo seguro, é a saúde do meu filho em questão.
  2. Fazer um enxaguamento extra a frio. Nesse enxaguamento não deve haver bolas de sabão até mais não – sinal de que estão a usar detergente a mais. Como referi acima, ajuste na dose seguinte e vá ajustando até acertar. Ainda hoje, por vezes, tenho de fazer ajustes.
  3. Colocar a secar, de preferência ao ar. No inverno, o nosso estendal encontra-se por vezes na sala. Uso um daqueles “polvos” do Ikea para secar os absorventes de bambu e cânhamo, ajuda a acelerar o processo de secagem. Também ajuda colocar ao pé de um desumidificador ou perto de uma fonte de calor (mas não em cima dela, pelo menos não as capas). Pode secar os absorventes na máquina de secar (as capas nunca!!!), tendo em consideração que este processo causa maior desgaste, tal como com a nossa roupa).

Exemplo de estendal

E pronto. Simples, certo?

Detergentes: use aquele que funciona, o que tiver em casa. Dou preferência em pó, pois os líquidos tendem a ter aditivos que podem “colar” nas fibras ou formar películas que comprometem a absorção das fraldas. Conheço quem use líquido e não tenha tido problemas MAS tenham em consideração que uma má lavagem não entope as fraldas imediatamente, pode demorar meses. Não compliquem quanto aos detergentes – quanto mais “básico”, melhor. Uso um detergente convencional em pó que se vende no supermercado, já usei uma outra marca e ambos funcionam que é uma maravilha. Mudei para estes detergentes convencionais depois de verificar que um que é vendido como sendo específico para as fraldas não as lavava como deve ser. Percebi porque me cheiravam a xixi logo a seguir a tirar da máquina. Comprei outro e pronto!

NUNCA USAR AMACIADOR, pode formar uma película impermeável nos tecidos, fazendo com que repelem a urina em vez de a absorver.

Por último, não complique o que é simples… NÃO ENGOMAR as fraldas, podem comprometer a sua absorção e além disso, a vida é curta demais para engomar fraldas 😉

Dica extra: para garantir que há água suficiente na lavagem, pode colocar a roupa extra (entre o passo 1 e 2) molhada, de forma a pesar mais. Isto nas máquinas que pesam a roupa para ajustar o ciclo (normalmente as que vêm com ciclo eco). Outra opção é colocar água diretamente na gaveta do detergente. Dúvidas que tenha – coloque no post no Instagram, please!

E porque conhecimento não ocupa espaço, sugiro leitura do artigo no blog na Meekbum sobre rotina de lavagem aqui.